Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

21.Jun.09

ROTAVÍRUS

 

O Rotavírus é um vírus da família Reoviridae e é um agente comum de gastroenterites infantis em todo o mundo. Existem vários serotipos, grupos e subgrupos, sendo os grupos A, B e C os mais virulentos para a espécie humana.

Este vírus é ubíquo em todo o mundo e a sua transmissão ocorre por via fecal-oral. Os grupos de risco são as crianças com menos de 24 meses ou subnutridas. São particularmente frequentes os surtos em infantários e nos serviços de Neonatologia.

O vírus afecta mais de 18 milhões de recém-nascidos e crianças e é responsável por cerca de 1 milhão de mortes por ano. Nos adultos, a infecção é, geralmente, assintomática.

Mas é no continente africano que a doença é mais preocupante.

Cerca de 580 crianças morrem diariamente em África devido a infecções gastrointestinais provocadas pelo Rotavirus, um número que contrasta com as 200 mortes anuais na Europa. Os sistemas de saúde deficitários em África e a falta de vacinação contribuem para esta disparidade.

A gastroenterite por Rotavírus é caracterizada por um quadro clínico de vómitos, diarreia, febre e desidratação. A infecção viral causa o encurtamento das microvilosidades intestinais e a inflitração da lâmina própria por células mononucleadas, o que impede a reabsorção de água, levando à excreção da mesma juntamente com iões e, assim, a uma diarreia aquosa (desprovida de sangue ou leucócitos).

 

 

Esta é uma doença particularmente grave e contagiosa, que se não for rapidamente tratada com reposição hidro-electrolítica pode ser fatal. Apesar de tudo, quando tratada é uma doença auto-limitada e a recuperação geralmente é completa.

A imunidade é geralmente conferida por IgA.

 

 

Não há qualquer terapia antiviral específica para tratar esta infecção. Como a gravidade da doença está associada à desidratação e ao desequilíbrio electrolítico, a terapia de suporte é fundamental para a recuperação.

 

 

A prevenção é fundamental e passa pela correcta lavagem das mãos e isolamento dos indivíduos infectados e pela vacinação. Vacinas experimentais têm sido preparadas de Rotavírus de animais, não causando doença humana, mas dando protecção contra a mesma. Existe uma vacina viva atenuada do vírus e outra que é uma combinação de 5 antigénios virais.

 

 

Em Portugal, a vacina protege as crianças até aos 5 anos. Se a mesma fosse implementada em África poderia salvar milhares de vidas!

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.